Boletos bancários vão mudar em julho

24/04/2017

O sistema que vai tornar mais seguro e fácil o pagamento de boletos bancários começa a operar no próximo 10 de julho. A data foi informada a empresários pernambucanos ontem por representantes da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) que vieram ao Recife para esclarecer o modo de funcionamento da Nova Plataforma de Cobrança.
 
Entre os benefícios apontados no encontro, estão a redução de fraudes, a possibilidade de quitar contas vencidas em qualquer banco e a garantia de recebimento.
 
Diretor adjunto de operações da Febraban, Walter Faria explicou que a partir de agora todos os boletos emitidos pelos bancos brasileiros terão que ser registrados. E essas informações devem ser enviadas para a nova plataforma, a base centralizadora.
 
Com isso, sempre que um consumidor for pagar uma conta, o sistema vai checar se os dados do boleto apresentado conferem com aqueles apresentados pelo banco. Assim, será possível, por exemplo, identificar e bloquear o pagamento de boletos fraudulentos, que movimentaram R$ 400 milhões só em 2016.
 
O novo sistema também vai evitar que o mesmo boleto seja pago duas vezes e vai calcular os encargos dos boletos atrasados, permitindo que os consumidores quitem os débitos em qualquer plataforma de pagamento, inclusive na internet, como antecipado pela Folha de Pernambuco no ano passado.
 
Para nós consumidores, só há benefícios porque vai continuar tudo do mesmo jeito e a nova plataforma traz mais segurança e comodidade no pagamento dos boletos”, disse Faria, contando que o formato do boleto não vai mudar. Ele reconheceu, porém, que a emissão dos códigos de barra pode precisar de atualização nas empresas.
 
Afinal, ainda há quem emita boletos sem registro, que normalmente têm um custo menor, mas não são aceitos pela Nova Plataforma de Cobrança. “Os benefícios, com certeza, superarão eventuais custos, já que a nova plataforma vai garantir o retorno da cobrança”, relativizou o diretor da Febraban, contando que 80% dos 4 mil boletos emitidos anualmente no País já são registrados.
 
Este grande volume de boletos, por sua vez, fez com que a implantação da nova plataforma fosse dividida em fases. Em julho, o sistema vai captar apenas as transações de valor igual ou superior a R$ 50 mil. Em setembro, esse valor baixa para R$ 2 mil. E, em dezembro, a Febraban promete registrar todos os demais boletos na base centralizadora.
 
Fonte: Folha de Pernambuco

 

Mais notícias