Governo Federal Aumenta Suas Receitas – E as Empresas?

17/04/2017

Há poucos dias, o governo federal elevou tributos das empresas e pessoas físicas, incluindo o IOF sobre operações de créditos de cooperativas e reoneração previdenciária da folha de pagamento de dezenas de setores empresariais.
 
E as empresas? Como conseguirão absorver estes aumentos tributários e ainda elevar suas receitas?
 
Obviamente, empurrar para o consumidor os aumentos de custos e perdas de receita, sob a forma de aumento de preços, não é eficaz, pois a perda do poder aquisitivo da população brasileira nos últimos 3 anos tornam inviável o repasse integral de tais encargos.
 
Em geral, as empresas olham para o “corte de custos”, e enxugam a máquina administrativa e operacional. Como ganhar mercados (como vendas ao exterior) é demorado e incerto, quase 100% do empresariado passa a aplicar reduções de seus quadros de pessoal e custeios de investimentos.
 
É certo que os lucros empresariais são reduzidos quando o governo “abocanha” mais tributos. Recomenda-se aos gestores amplas ações de planejamento financeiro, operacional e estratégico, visando, entre outros:
 
1. retenção de lucros ou dividendos, para fortalecer o capital de giro e suprir demandas de investimentos;
 
2. repassar aos preços estritamente os montantes necessários para cobrir os aumentos de custos tributários e tarifas públicas (energia, combustíveis);
 
3. investir em novas estratégias de marketing, para alcançar novos mercados;
 
4. estrategicamente, analisar possibilidade de fusões e aquisições, para alavancar os negócios como um todo;
 
5. buscar novos investidores, seja no Brasil ou no exterior, lançando ações ou captando recursos de longo prazo, como debêntures conversíveis em ações;
 
6. reduzir estruturas administrativas e operacionais, tornando-as compatíveis com o fluxo de caixa atual;
 
7. buscar parcerias e novas formas de negócios (investindo em produtos mais lucrativos ou que são menos afetados pelo contexto de retração econômica);
 
8. inovar na administração e na gestão (como ampliação da terceirização e foco interativo no cliente);
 
9. intensificar ações de planejamento tributário;
 
10. reforçar ações de redução de desperdícios, erros, fraudes e perdas internos.
 
Enfim, o governo federal fez o que sabe fazer melhor: aumentar tributos. O empresário brasileiro sabe administrar, empreender, inovar – precisa utilizar toda sua capacidade e tecnologia para não ser engolido pela devassa fiscal e retração econômica.
 
Fonte: Blog Guia Contábil

 

Mais notícias