Receita quer evitar “pejotização” com a correção da tabela do IR

06/05/2016

Imagem: thinkstock

A cobrança de mais Imposto de Renda (IR) das pessoas que reccebem salário como empresa é uma das mudanças previstas na proposta de correção da tabela do imposto que está sendo preparada pelo governo. 
 
A alteração resultaria em uma arrecadação de mais de R$ 2 bilhões por ano, informou hoje uma fonte do governo à Agência Estado. 
 
O objetivo, de acordo com a fonte, é enfrentar a chamada "pejotização" em vários setores da economia, e a medida antielisão fiscal ajudaria a compensar parte dos efeitos da correção em 5% da tabela do IR. 
 
O secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Dyogo Oliveira, afirmou nesta terça-feira (3/5), que a pasta está finalizando os documentos para enviar a correção da tabela de Imposto de Renda (IR) ao Congresso através de um projeto de lei (PL), que será encaminhado junto com medidas compensatórias.
 
"A equipe está debruçada neste momento e o projeto será enviado com a maior brevidade possível", disse.
 
Questionado sobre se o governo está preparando outras medidas tributárias para serem anunciadas, o secretário afirmou que o PL não terá um impacto negativo para a arrecadação. 

 "A correção da tabela será compensada com outras medidas que serão divulgadas oportunamente. O projeto já vai (para o Congresso) com as medidas compensatórias junto", afirmou.

O reajuste da tabela só vai entrar em vigor em 2017, mas a equipe econômica trabalha para que o impacto da medida seja neutro. 
 
Por: Estadão Conteúdo
 
Fonte: Diário do Comércio

 

Mais notícias